ASSUNTOS DIVULGADOS
NO IRRIGA-L *

UNESP Ilha Solteira - Área de Hidráulica e Irrigação

Assuntos referentes a Novembro e Dezembro

Água residuária de pátio de usina sucroalcooleira como irrigação de cana de açucar..
10/11/2006 16:56
Fernando Braz Tangerino Hernandez <fbthtang@agr.feis.unesp.br>
Caro Saad, fico devendo esta...
Mas aproveito para divulgar o trabalho:
MODEL FOR DETERMINING FLOW DIAMETER AND ECONOMIC VELOCITY IN WATER ELEVATING SYSTEMS
de JOAO L. ZOCOLER, FRANCISCO C. BAGGIO FILHO, LUIS A. F. OLIVEIRA,
e FERNANDO B. T. HERNANDEZ
disponivel em no Portal da Area de Hidraulica e Irrigação
(http://www.agr.feis.unesp.br/irrigacao.php) em:
http://www.agr.feis.unesp.br/pdf/mpe_velocidade_economica.pdf
e publicado na Mathematical Problems in Engineering, Volume 2006, Article ID 17263, Pages 1–17
DOI 10.1155/MPE/2006/17263.
Abracos e bom fim de semana!
Tangerino

ALUNO DE ILHA SOLTEIRA É DESTAQUE NO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP
17/11/2006 16:30
Laboratório de Hidráulica e Irrigação - UNESP Ilha Solteira <irriga@agr.feis.unesp.br>
O aluno do Curso de Agronomia da UNESP Ilha Solteira Wagner Vicente Pereira foi destaque na Área de Ciências Agrárias no último Congresso de Iniciação Científica da UNESP, ocorrido nos dias 13 e 14 de novembro em Jaboticabal - SP.
Wágner recebeu o prêmio pela apresentação do melhor trabalho da Área de Ciências Agrárias. A pesquisa do aluno foi orientada pela Professora Dra. Marli Stradioto Papa do DEFERS - UNESP Ilha Solteira e versou sobre a atividade antifúngica de extratos de diferentes partes de uma planta do cerrado que apresenta características medicinais e ornamentais, conhecida por pacari (/Lafoensia pacari/).
Segundo a Dra. Marli Papa, os extratos presentes na planta poderão ser utilizados no combate a fungos que causam doenças em diversas plantas cultivadas, atuando como um fungicida natural ou mesmo, a partir das informações obtidas no trabalho premiado, os compostos com ação fungicida poderão ser isolados e identificados dando origem a novo fungicida.
O trabalho faz parte de um projeto em que procura-se encontrar novos agentes antimicrobianos em extratos de plantas, ou usar o extrato para o controle de doenças de plantas. O objetivo da pesquisa foi determinar a atividade antifúngica das substâncias que combatem doenças que afetam a planta de acerola e em qual parte da planta de pacari (folhas, flores e ramos) encontram-se maiores quantidades das substâncias.
O prêmio do acadêmico Wagner Vicente Pereira, que atua na área de doenças de plantas sob a orientação da Profa. Marli há dois anos, foi R$500,00 em dinheiro, patrocínio para participação no próximo Congresso da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) e uma viagem para a Universidade de Ohio nos Estados Unidos da América.
Para a Professora Dra. Marli Papa o prêmio se constitui um reconhecimento pelo trabalho desenvolvido, tanto na pesquisa em si, como na formação dos alunos que acabam se destacando.

Concurso para professores: Paraná
21/11/2006 16:23
Jadir Rosa <jadirosa@yahoo.com>
Colegas:
A Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná tem
vagas para professores nas áreas de mecanização
agrícola e entomologia agrícola. Inscrições até 30/11.
Maiores informações: http://www.unicentro.br
Saudações.
Jadir A. Rosa, Ph.D.
IAPAR - CAIXA POSTAL 129
PONTA GROSSA, PR CEP:84001-970
FONE/FAX:(42)3229-2829(IAPAR)
e-mail: jadirosa@yahoo.com ou jrosa@iapar.br

Custo fixo de sistema de bombeamento
7/12/2006 22:26
Fernando Campos Mendonça <fcmendon@ig.com.br>
Caro Marcussi,
Fico feliz ao saber que contribuí com meus 10 centavos...
E agradeço pelas informações que me passou sobre tarifas e horários. Tenho falado sobre isto em palestras e cursos, e realmente não sabia das 8,5 horas. Eu também pensava que eram 9 h.
Quando terminar a tese divulgue aqui na lista ou mande cópia digital.
Grande abraço e sucesso pra você.
Fernando

Custo fixo de sistema de bombeamento
8/12/2006 09:56
Luis Preto <pretoluis@hotmail.com>
Marcussi:
A otimização econômica pode ter seus fatores limitantes, um deles é com relação à vazão máxima de projeto, que está consicionada à disponibilidade hídrica , seja de um corpo hídrico superficial ou subterrâneo. A busca de otimização de custos de energia elétrica, em função de uma tarifa promocional noturna, dada pelo setor elétrico, limita no mínimo à metade, a disponibilidade hídrica de corpos hídricos superficiais, restringindo dessa forma, os usos múltiplos de recursos hídricos na bacia hidrográfica onde se localiza a captação, já que a outorga não considera somente volume retirado, mas a vazão também.
A otimização do projeto em função dos custos de produção na irrigação, focados nos descontos noturnos dados pelo setor elétrico, restringe e limita o acesso à água de outros usuários de recursos hídricos. Com certeza haverá situações em que se poderá dimensionar o equipamento de irrigação para trabalhar 8,5 horas/dia, mas essas situações serão exceção e não a regra geral (21horas/dia). Acrescento que em bacias com restrição hídrica, o ideal seria dimensionar para trabalhar 24horas/dia.
O assunto é bem interessante, eu desejo sucesso na empreitada.
Abraço
Luis A. Preto
Especialista em Recursos Hídricos
Superintendência de Usos Múltiplos
Agência Nacional de Águas

Custo fixo de sistema de bombeamento
8/12/2006 17:09
<marcussi@sc.usp.br>
Caros colegas,
outro fator interessante, que estamos análisando, é o custo por metro cúbico de água, no custo operacional total. O custo da água é responsável por uma pequena porcentagem de todo o custo operacional do sistema de irrigação. Isto demonstra que o "disciplinador" do irrigante, quanto a melhoria da eficiência do sistema, continuará sendo o custo da energia de bombeamento, e não o custo do metro cúbico de água em si. Considerando R$ 0,01/m3.
As "contendas de outorga" para o irrigante serão temas interessante para o futuro próximo. Principalmente levando-se em consideração o uso multiplo da água, como ressaltou o colega Luis.
Abraços!

 
Para se inscrever na Irriga-L, acesse:
http://www.agr.feis.unesp.br/irriga-l.php